Carla Sthefanini e Marquinhos Trad: o machismo em xeque *****Dante Filho***** O site Metrópolis, na ...

Marquinhos enfrenta denúncia de assédio; com a palavra, mulheres emponderadas

/
1 Comentários

 

                                     Carla Sthefanini e Marquinhos Trad: o machismo em xeque


*****Dante Filho*****

O site Metrópolis, na coluna de Guilherme Amado, com texto de Paulo Cappelli, abriu nesta quarta-feira, dia 20, denúncia contra Marquinhos Trad, pré-candidato ao governo de Mato Grosso do Sul (PSD/MS), por assédio sexual. 

O assunto ganhou as redes sociais e as rodas de conversa do Estado, criando uma esfera divisiva na política sul-mato-grossense. 

Há inquérito policial instaurado com depoimento de 4 mulheres , que procuraram a  Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam). Ainda não se conhece os depoimentos, mas certamente eles serão levados a público. 

O ex-prefeito Marquinhos nega tudo e colocou sua esgotosfera, comandada por Robison Gatti, em ação. 

Primeiro, classificou o material jornalístico como Fake News. É um procedimento normal, que convence só os convencidos. 

Depois distribuiu um vídeo esquisito em que uma cafetina, que aparenta ser sua amiga de longa data, falando que havia no mercado uma proposta de R$ 150 mil oferecido pelo tucano Carlos Alberto de Assis, para fazer a tal denuncia. 

Acho que o careca devia falar alguma coisa. A acusação é grave.

Enfim, a campanha está pegando fogo. Muita gente diz que isso não vai dar em nada. A macheza e o grande comedor têm respaldo na sociedade. Pode ser. Mas os tempos estão mudando. O histórico recente mostra que foi o tempo em que pegar mulher aos montes dava voto.

Fico me perguntando: onde estão as defensoras das mulheres do tipo Carla Sthefanini, Vereadora 

Camila Jara, Subsecretária do Governo do Estado, Luciana Azambuja, além de tantas advogadas, jornalistas etc, etc, etc, que volta e meia gritam contra o assédio e contra o machismo estrutural? 

Não se sabe. Elas pelo menos deviam averiguar o que está ocorrendo, até para o benefício da transparência e do esclarecimento  público. 

Publiquei hoje na minha página do Facebook meu depoimento pessoal sobre o tema, pois fui jornalista na prefeitura de Campo Grande, na primeira gestão de Marquinhos de Trad, tendo pedido demissão logo após sua reeleição em razão de minha aposentadoria e mudança de domicílio. 

Ei-lo: 

Posso dizer que sou testemunha ocular da história. A parte da denúncia que fala das habilidades mágicas de Marquinhos Trad, é verdade. Teve um tempo em que ele circulava pelos órgãos da prefeitura mostrando uma variedade de truques com baralho e outras peças. Foi logo após uma viagem que ele fez ao Líbano. 

O prefeito-mágico surgiu, passou um tempo, e desapareceu. 

A história das visitas ao banheiro interno do gabinete do prefeito é um clássico: todos os servidores e servidoras que trabalham no local sabem como isso funcionava. A nova prefeita Adriane Lopes deve ter desinfetado o local. Se não fez isso, corre riscos. 

Que Marquinhos tem fama de predador sexual isso vem desde que ele era deputado estadual. Muitas mulheres evitavam atravessar os corredores quando ele estava na Casa. Se ele as encontrava, ia pra cima. 

Quanto ao fato de surgir denúncias, Marquinhos, desde o começo do ano,  postava vídeos falando que isso ia acontecer. Ele foi aconselhado pelos marqueteiros criar "um vírus" com a antecipação dos rumores. Neste caso, é réu confesso. 

Li o material do Metrópolis e não vi nada que possa não corroborar ou mesmo negar a partir dos fatos que vi e vivi. 

Não era incomum, depois do expediente, quando às vezes ficava até mais tarde na prefeitura, ver moças vestidas e maquiadas como se fossem para a balada na sala de espera do prefeito. 

Qualquer pessoa acharia estranho, mas aquilo já havia se incorporado ao mundo natural do gabinete.




Posts Relacionados

Um comentário:

  1. Camila Jara se pronunciou nas redes sociais, vejam através do link: https://www.instagram.com/p/CgQScGVolZ-/

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.