Nestes dias ausentes de futuro Quando os nossos sentidos se atenuaram Compassando as horas que não passam Criando esse cansativo nada Subt...

Vocês estão sabendo

/
2 Comentários

 



Nestes dias ausentes de futuro

Quando os nossos sentidos se atenuaram

Compassando as horas que não passam

Criando esse cansativo nada

Subtraímos dessa

Falta de urgência

O amor e o abraço

A fumaça das ruas

O barulho nas praças

E a busca de ar

Há uma esperança fugidia

Nas sombras dos dias tão iguais

E tudo ficou

fora de lugar

As palavras têm outra semântica

Os termos do contrato habitam uma nova casa

E Tudo ficou escuro

Sem que haja a certeza do talvez.

Noutro dia,

Quando o olhar voltar-se para o mistério da ausência

E o passado tornar-se presente

Nas mudanças da geografia do corpo,

Assim veremos com claro vislumbre

Que tudo foi medo

O medo de sempre

Ancestral e absoluto

Eternamente Infinito



Posts Relacionados

2 comentários:

Tecnologia do Blogger.