Não posso afirmar se a deputada Tereza Cristina é boa ou má parlamentar. Do ponto de vista institucional, seu mandato me parece insípid...

Vamos falar sobre a deputada Tereza Cristina

/
2 Comentários

Não posso afirmar se a deputada Tereza Cristina é boa ou má parlamentar. Do ponto de vista institucional, seu mandato me parece insípido, incolor e inodoro. Do ponto de vista político, é um desastre. 


As informações sobre as ações parlamentares de Tereza não me chegam. Ela é ruim de marketing. 



O noticiário perceptível em torno dela só destaca problemas. 



Há meses a pauta que lhe cerca é a da expulsão do PSB. Se um parlamentar é indesejado em seu partido, alguma coisa está errada. Pelo menos aos olhos de quem não compreende o emaranhado sutil da vida partidária.



Claro, sabemos como ela se meteu em sua própria crise: contrariou a ala esquerda do PSB posicionando-se a favor do presidente Temer, que a fustiga com o desejo de lhe retirar das mãos o cargo de líder do partido na Câmara dos Deputados. 



Enfim, o velho jogo do poder.



O cargo de liderança traz vantagens: cargos, verbas indenizatórias, visibilidade, tempo de tribuna, mordomias e trânsito fácil nos ministérios. 



Mas Tereza tem uma personalidade errática. 



Na verdade, ela cometeu um equívoco de origem. Sempre foi instrumento e nunca uma agente política de verdade. Ingressou no PSB a mando do caciquismo local. Nunca foi de esquerda. 



Sempre teve vinculação com o chamado “conservadorismo fisiológico” da direita patrimonialista. 



Seus interesses empresariais e paroquiais sempre falaram mais alto do que sua postura ideológica. Ou seja, ela sempre esteve no lugar errado por conveniência e cumprimento de ordens. Nunca lhe passou pela cabeça se libertar desses esquemas para fazer um mandato mais consistente. 



Tereza cometeu o erro da ilusão: achou que seria fácil ficar dentro de um campo ideológico que nunca fora o seu,  principalmente no cipoal de contradições que é a grande política. Ela estava destinada ao baixo clero, mas foi catapultada a uma função que nunca devia ser dela, por vocação e habilidade. 



Claro, ela tentou enganar seus pares. Ela estava acostumada e mentir como fez no PSDB local e, depois, tornando-se massa de manobra do PMDB, até chegar ao socialismo de resultados que a terminou caracterizando. 



Agora, a notícia de sua expulsão tornou-se uma referência política de seu mandato. Cabe a qualquer cidadão perguntar quais as razões que levam uma pessoa a ficar num partido que, dia sim dia não, pede sua cabeça.



Pior: leva-se à incômoda posição de ficar ao mesmo tempo se oferecendo no mercado do fisiologismo explícito. 



Coitada. No final, em 2018, caberá à deputada um lugar de destaque na ribalta do anonimato, por mais paradoxal que isso pareça.





Posts Relacionados

2 comentários:

  1. Boa tarde vc é cara sem caráter pq quando foi a te a deputada pedir pra que fizesse parte da equipe dela não pensava desta forma deixa de ser vagabundo e tenha caráter seja um profissional descente e não jogue o seu veneno ao vento pra tentar se beneficiar de alguma forma das pessoas quem é vc pra criticar mandato de alguma político a sua falta de de caráter fala por si só lamentável .

    ResponderExcluir
  2. Bom dia aprendiz de jornalista! Acho muito estranho um jornalista que deveria fazer uma analise objectiva e pertinente ao momento conturbado que o pais atravessa, perde uma grande oportunidade tecendo comentários com um único objectivo de atingir a honra e a dignidade de uma mulher Sul Mato-grossense, nesse instante trabalhando em prol do desenvolvimento no nosso estado, e do Brasil. Seu artigo não consegue traduzir nada mais que, deixar evidenciar nas palavras um hálito rancoroso, ressentido e repleto de amargura. Até então reconhecia o jornalista em questão com alguém capacitado em escrever artigos que viessem a colaborar com esse difícil momento vivenciado por todos os Brasileiros. Reconheço que a sua insignificância e tamanha, que se quer meus conterrâneos perderam seu precioso tempo para ler esse LIXO ESCRITO POR VC.

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.