A íntegra do discurso do prefeito Marquinhos Trad hoje às 10, 30 horas, feito na abertura do ano legislativo na Câmara Municipal de Campo...

Discurso de Marquinhos Trad na abertura do ano legislativo

/
0 Comentários

A íntegra do discurso do prefeito Marquinhos Trad hoje às 10, 30 horas, feito na abertura do ano legislativo na Câmara Municipal de Campo Grande:


"Devemos ser colaborativos; deixemos o combate político-eleitoral para o tempo certo; vamos nos unir pelo bem da cidade, sem perder a noção de que queremos o melhor para as maiorias e que temos o maior desafio de todos para superar: reduzir as imensas desigualdades sociais que nos aflige, evocadas pelo clamor de menos violência e mais justiça social."



Excelentíssimo Presidente e Excelentíssimos Vereadores da Câmara Municipal de Campo Grande: 

Senhores e senhoras, 

Estamos aqui reunidos nessa Sessão Solene outorgados pelas bênçãos da democracia. Fomos escolhidos para dar vez e voz a cada cidadão que vive em Campo Grande. Trata-se de um ato que consideramos de extrema importância, pois simboliza o encontro entre dois Poderes – Executivo e Legislativo – que aqui estão materializados pela força que transforma o voto popular na vontade geral de nossa cidade.

Na abertura desse processo legislativo de 2017 sinto-me verdadeiramente honrado em participar, juntamente com representantes do Povo dessa Casa de Leis, do início dessa promissora jornada que ora nos embala.

Sinto-me em casa. A história de minha vida confunde-se com a do Legislativo de Mato Grosso do Sul. O diálogo permanente com aqueles que aqui chegam pela livre escolha da sociedade é a única forma de promover o encontro entre o corpo e o espírito de uma cidade, transformando sonhos em realidade. 

Somos uma só vontade. 

O Executivo é quem coloca as forças produtivas em ação; e o Legislativo é o poder que debate, pondera e arbitra. 

Juntos somos fatores fundamentais para se promover a felicidade coletiva em oposição aos interesses individuais. 

Sem a valorização e união dos poderes republicanos a cidade fenece, o arbítrio prospera e o caos se instaura.

Assim, reitero que cada agente político tem o compromisso de fazer o melhor por todos, visto que está aqui para exercer um mandato que ajude a garantir a construção de uma cidade desenvolvida sob os pressupostos da governabilidade, da responsabilidade e da igualdade de oportunidades.

Nesse aspecto, dando cumprimento ao art. 32, § 6º da Lei Orgânica Municipal, apresento a Vossas Excelências os dados referentes à execução orçamentária e financeira do Município no exercício de 2016, encontrados ao iniciar o nosso mandato à frente do Poder Executivo, bem como as linhas mestras do nosso programa de governo, além de um breve relato das medidas emergenciais implementadas nesses primeiros quarenta dias da nossa Administração.

Este gesto, não obstante ser uma imposição da Lei, torna-se obrigação moral que apraz a todo conhecedor e defensor da independência e a convivência harmônica entre os Poderes.
A eleição passou e agora somos todos responsáveis pela reconstrução de Campo Grande. 

Temos que resgatar as condições de mobilidade urbana e dos meios para elevar a qualidade de vida dos nossos cidadãos, além de reconstruir credibilidade da administração Municipal. 

A consciência cidadã e o bom senso nos orientam a não seguir os mesmos caminhos trilhados pela gestão passada. 

"Juntos somos fatores fundamentais para se promover a felicidade coletiva em oposição aos interesses individuais." 

Estamos convencidos de que os novos tempos exigem parcerias e relações institucionais lastreadas na transparência, na ética e na obediência resoluta às leis.

O passado é um fato que está dado. Ele será objeto de análise dos órgãos de fiscalização e controle. 

Nosso compromisso é com o futuro. A nossa missão, a partir de agora, será a de assumir com mãos firmes o processo administrativo, pautado pela responsabilidade fiscal, pelo equilíbrio das finanças e por rigorosos critérios de planejamento e boa gestão. 

Queremos fazer uma verdadeira virada em Campo Grande. Não transigiremos com os erros, não nos dobraremos com as desculpas da ineficiência, não permitiremos que gastos supérfluos façam girar a lógica permanente da irresponsabilidade. 

Assumimos com o grande desafio de corrigir distorções e devolver à sociedade a perspectiva do desenvolvimento sustentável. 

Temos o desafio de restabelecer a qualidade dos serviços públicos, de coibir de todas as formas a corrupção, de adotar critérios justos e realistas de valorização do funcionalismo, sem o qual nada poderemos fazer para promover as mudanças fundamentais que a nossa Capital tanto aspira.

Diante disso, queremos fortalecer as relações entre essa Casa Legislativa e o Poder Executivo. Ninguém pode jactar-se dono da verdade. Por essa razão, a convergência dos interesses públicos deve prevalecer sobre os demais.  

Temos a missão pessoal e institucional de defender e proteger as camadas populares acima de quaisquer outras. Somente assim, a cidade poderá expandir positivamente suas expectativas em relação aos representantes eleitos.

Enfim, nossa missão histórica será a de devolver a todos o orgulho de ser campo-grandense, vivendo numa cidade moderna, plural e pujante.

A conjuntura econômica do Município, encontrada neste início de mandato, somada à grave crise nacional, não permite euforia; porém, não podemos perder as esperanças. Não podemos perder a confiança em nós mesmos. Não podemos ceder ao conformismo diante da multiplicidade de problemas aparentemente sem solução.

Nosso lema diz que Campo Grande é a melhor cidade para viver e ser feliz. Esse será o nosso norte e objetivo.

"Assumimos com o grande desafio de corrigir distorções e devolver à sociedade a perspectiva do desenvolvimento sustentável."

Tênues sinais de recuperação econômica começam a despontar no horizonte. O Brasil começa a dar respostas – ainda que modestas – à inflação persistente, aos juros elevados, à estagnação produtiva. 

Há chance de começarmos a superar as dificuldades ainda este ano.

Se os indicadores da economia garantirem a superação da crise, vitalizando o setor de serviços, reduzindo o desemprego, estimulando a circulação de dinheiro, com certeza estaremos preparados para atrair novos investimentos em todos os segmentos produtivos.

Estamos nos reestruturando, administrativa e operacionalmente, para que nossa Capital volte a ser grandiosa.  Para isso, precisaremos do apoio dessa Casa Legislativa, com sua imprescindível sabedoria emanada da vontade das ruas, com suas demandas legítimas, suas críticas justas e construtivas, a nos auxiliar no apontamento dos caminhos e das soluções.

Devemos ser colaborativos; deixemos o combate político-eleitoral para o tempo certo; vamos nos unir pelo bem da cidade, sem perder a noção de que queremos o melhor para as maiorias e que temos o maior desafio de todos para superar: reduzir as imensas desigualdades sociais que nos aflige, evocadas pelo clamor de menos violência e mais justiça social.

É nesse ambiente democrático e participativo que os cidadãos e cidadãs tomarão conhecimento das potencialidades e das dificuldades vivenciadas pela administração municipal. Vamos estar nas ruas, nos bairros, no comércio, nas indústrias, conversando com a população. 

Não faremos uma administração de gabinete, fechados em pequenos grupos, infenso aos contatos com o povo. Queremos conversar olho no olho e saber como acontece a vida em seu cotidiano.

A boa governança requer humildade, paciência e perseverança.

Por isso, buscaremos renovar, em curto espaço de tempo, a esperança da população campo-grandense com ações políticas discutidas e  organizadas,  sempre visando o bem-comum.  

Agindo assim é que nos daremos o direito de antever uma cidade mais próspera e humana.
Nesse sentido, é importante que fique registrado nos anais dessa Casa  a verdade sobre o quadro econômico-financeiro encontrado até o momento. Essa será a base pela qual vamos nos lastrear nos próximos anos para avaliar a qualidade de nossa gestão. 

Em termos contábeis, Senhor Presidente e dignos Vereadores, encontramos restos a pagar e consignações, ou seja, dívida flutuante, na ordem de R$ 461.726.456,70 (quatrocentos e sessenta e um milhões, setecentos e vinte e seis mil, quatrocentos e cinquenta e seis reais e setenta centavos). 
As operações de créditos e parcelamentos, caracterizados como dívida fundada, estão na casa de R$ 453.279.177,87 (quatrocentos e cinqüenta e três milhões, duzentos e setenta e nove mil, cento e setenta e sete reais e oitenta e sete centavos).

Descontados os saldos de banco e caixa, nos deparamos com superávit financeiro, com recursos livres, caracterizados como “fonte zero”, na ordem de R$ 65,9 milhões , não obstante a informação do Prefeito anterior indicasse haver disponibilidade de caixa da ordem de R$ 247,1 milhões, no fechamento do mês de dezembro de 2016.  

"Queremos fazer uma verdadeira virada em Campo Grande. Não transigiremos com os erros, não nos dobraremos com as desculpas da ineficiência, não permitiremos que gastos supérfluos façam girar a lógica permanente da irresponsabilidade."

Os números aqui apresentados e os constantes dos relatórios anexos, sobre a execução orçamentária de 2016, demonstram que a arrecadação de impostos pelo Município, nos últimos exercícios, teve um incremento da ordem de6,61% , fruto da consciência ativa da população, como contribuinte, e que a receita Municipal cresceu, somente 12%   

Neste momento, em que essa egrégia Casa Legislativa inicia, oficialmente, os trabalhos da nova legislatura, convido os nobres Edis para que possamos compartilhar responsabilidades para gerir Campo Grande. 

Esta atuação conjunta foi praticada, com êxito, quando da apreciação do projeto de lei da reorganização administrativa do Poder Executivo.  Como Prefeito Municipal, ao lado da Vice-prefeita Adriane Lopes - e de toda a nossa equipe -, esperamos ser brindados com a parceria e a fiscalização responsável dos membros dessa Câmara Legislativa.

Nobres Vereadores, além dos dados e das informações referentes ao desempenho do Poder Executivo no ano de 2016, apresentamos, destacados do nosso Programa de Governo, aprovado pelo voto da maioria dos eleitores, alguns pontos cruciais, para dar a conhecer políticas e diretrizes governamentais para a nossa gestão, cuja implementação, certamente, terá o apoio e a parceria de Vossas Excelências.

Vamos enfrentar desafios, solidariamente, pois, somente assim, alcançaremos êxito. Temos consciência do nosso potencial frente às dificuldades presentes e as lutas futuras; por isso, vamos buscar apoio onde possamos encontrá-lo, para transformar frustrações em projetos e boas ideias em investimentos públicos e privados.

Como premissa básica, da qual não abrimos mão, garantimos aos senhores integrantes dessa Casa Legislativa que tudo faremos para colocar o nosso Município no lugar de destaque no cenário estadual e na vitrine nacional, provando que aqui o desenvolvimento assegura uma real e melhor qualidade de vida para toda a nossa gente.

Sabemos das dificuldades que nos reserva. Contudo, a consciência dos obstáculos que encontraremos não nos afastará dos nossos compromissos, principalmente com aqueles mais fragilizados socialmente.   

Vamos trabalhar com toda a intensidade e responsabilidade, executando o orçamento com diligência, transparência e honestidade.  Nossas prioridades estarão concentradas na saúde, na educação, na assistência social, na segurança e, principalmente, na defesa dos direitos humanos e dos menos favorecidos econômica e socialmente.

Deste modo, com a certeza de que esse Parlamento Municipal, atento às necessidades dos nossos cidadãos, caminhará junto com a nossa administração, aprovando e aprimorando as boas iniciativas, 

desejamos a todos muito sucesso e realizações. 

Respeitosamente.

MARCOS MARCELLO TRAD

Prefeito Municipal




Posts Relacionados

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.