Um dos discursos oficiais para justificar a realização do “Caravana da Saúde” era de que o programa ajudaria a promover a descentralizaç...

Dados mostram que Caravana da Saúde não desafoga Santa Casa

/
1 Comentários

Um dos discursos oficiais para justificar a realização do “Caravana da Saúde” era de que o programa ajudaria a promover a descentralização do atendimento básico no interior e na Capital, aliviando consequentemente as demandas da Santa Casa de Campo Grande. 
O
s números e relatórios diários da instituição mostram que isso não acontece. 

As taxas de ocupação continuam elevadas e, nos piores casos, há superlotação e fila de espera. 

“Os problemas permanecem como sempre; os prefeitos continuam mandando pacientes para Campo Grande; não há alívio nenhum”, comentam membros e funcionários da instituição, pedindo para não terem os nomes citados. 

Além disso, os medicos afirmam que existe um sistema montado e consolidado em todo o Estado para envio de pacientes para Campo Grande, que concentra mais de 80% dos atendimentos do MS. 

Os médicos preferem não criticar o carro-chefe eleitoral do Governo Azambuja: “pontualmente, resolve alguns problemas na oftalmologia, mas o preço pago pelos procedimentos é elevado; além disso, dá uma espécie de conforto para aquela população carente em vários níveis, inclusive psicológico”, reiteram.

"Só o que eles estão gastando com propaganda daria para equipar melhor as unidades de atendimento", salientam.

Eles lembram que atualmente há frotas de veículos particulares, pagamento de diárias para servidores públicos, enfim, um sistema montado no qual a “realização da Caravana da Saúde termina se constituindo apenas num esparadrapo para quem tem doenças graves e precisa de atendimento com alguma qualidade”, comentam.

Os dados coletados comprovam essa percepção. 

Veja o relatório desta segunda-feira sobre as taxas de ocupação na Santa Casa, com cerca de 50% dos pacientes vindos do interior, de outros Estados e até de países fronteiriços: 

Taxa ocupação na Santa Casa nesta segunda-feira: Enfermaria : 93,9%. Pronto Socorro Pediátrico: 85%. Pronto Socorro adulto (área vermelha, que estão sem ventiladores): 216%. Pronto Socorro ( área Verde): 455%. Ortopedia: 257%.

Unidades de terapia intensiva (UTI) 1: 100%. UTI 2: 100%. UTI 3: 100%.UTI 4: 100%. UTI 5: 50%. UTI 6: 50%. UTI 7: 100%. Unidade do Coração: 100%. UTI Neonatal: 100%
Pronto Socorro (amarela): 100%. Unidade de Cuidados Paliativos: 62%.

Cirurgias Programadas  nas últimas 24h:  84 procedimentos/ 29 pacotes de atendimento. Internações nas unidades 24horas: 90 atendimentos.



Posts Relacionados

Um comentário:

Tecnologia do Blogger.