A campanha eleitoral de Campo Grande entrou numa fase perigosa. O Tribunal Regional Eleitoral corre o risco de ser tragado pelo vórtice d...

A Justiça eleitoral precisa agir

/
0 Comentários
A campanha eleitoral de Campo Grande entrou numa fase perigosa. O Tribunal Regional Eleitoral corre o risco de ser tragado pelo vórtice da desmoralização institucional caso permaneça inerme diante das ações explícitas de compra de voto que vem ocorrendo em toda a cidade, principalmente nos bairros mais pobres, onde a vulnerabilidade do cidadão é maior.

Não é preciso muita estrutura organizacional para saber como o uso abusivo do caixa 2 vem ocorrendo. Os operadores de dinheiro em campanhas eleitorais são conhecidos de toda a classe política. Basta investigá-los.

Basta também verificar nas redes sociais a quantidade de denúncias sobre o uso e o abuso de dinheiro para a compra votos. E o mais estranho é que não se percebe a presença da Justiça Eleitoral como força coatora de atos ilícitos que estão ocorrendo a céu aberto. 

Basta fiscalização efetiva entre adesivadores profissionais que habitam em grande quantidade nossas esquinas para perceber com clareza a oferta de benefícios financeiros em troca de votos. 

Basta verificar nas movimentações políticas nos bairros para se perceber que visitas "inocentes" de cabos eleitorais a eleitores estão sendo usadas como forma disfarçada de compra de consciência e apoios. 

Do jeito que as coisas seguem, o TRE poderá ficar apequenado diante da maneira acintosa que o poder do dinheiro vem arrostando a vontade democrática da população no rumo da mais completa e absoluta ilegalidade. 

Mais vigilância, mais alerta, mais fiscalização, enfim, maior presença no processo eleitoral por parte da Justiça é fator necessário para que, no dia do voto, prevaleça a vontade geral e não a força exclusiva daqueles que perderam os escrúpulos na corrida espantosa da luta pelo poder. 






Posts Relacionados

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.