Os juros do cheque especial  Estão pela hora da morte O preço do poema ficou proibitivo Vale mais do que o ouro que se tira do nariz Minha...

A economia do poema

/
0 Comentários

 


Os juros do cheque especial 

Estão pela hora da morte

O preço do poema ficou proibitivo

Vale mais do que o ouro

que se tira do nariz

Minha mulher reclama

de que não há 

mais romantismo no mundo

Eu tento explicar pra ela

Que é melhor pagar no crédito

Porque no débito 

Tudo virou um imenso nada

Dante Filho



Posts Relacionados

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.