Nestes dias ausentes de futuro Quando os nossos sentidos se atenuaram Compassando as horas que não passam Criando esse cansativo nada Subt...

 



Nestes dias ausentes de futuro

Quando os nossos sentidos se atenuaram

Compassando as horas que não passam

Criando esse cansativo nada

Subtraímos dessa

Falta de urgência

O amor e o abraço

A fumaça das ruas

O barulho nas praças

E a busca de ar

Há uma esperança fugidia

Nas sombras dos dias tão iguais

E tudo ficou

fora de lugar

As palavras têm outra semântica

Os termos do contrato habitam uma nova casa

E Tudo ficou escuro

Sem que haja a certeza do talvez.

Noutro dia,

Quando o olhar voltar-se para o mistério da ausência

E o passado tornar-se presente

Nas mudanças da geografia do corpo,

Assim veremos com claro vislumbre

Que tudo foi medo

O medo de sempre

Ancestral e absoluto

Eternamente Infinito

Tecnologia do Blogger.